Topo
2017: as melhores dicas para iniciar um planejamento tributário

2017: as melhores dicas para iniciar um planejamento tributário

Em tempos de crise econômica, uma empresa deve buscar meios para se destacar da concorrência, se colocando em um bom posicionamento no mercado. A adoção de práticas que melhoram sua gestão no âmbito administrativo e financeiro é um ponto importante a se seguir. E uma das práticas com melhor resultado é o planejamento tributário. Preparamos as melhores dicas para você iniciar um no seu negócio, desfrutando de seus benefícios!

Entenda o planejamento tributário

O planejamento tributário é um plano que tem como objetivo diminuir a incidência da carga tributária sobre o empreendimento. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é um mecanismo legal (no sentido de ser autorizado pela lei) pelo qual a empresa faz uso de benefícios, incentivos ou isenções fiscais para diminuir os custos do negócio.

Considere todos os fatores que influem no panorama financeiro

Para definir um planejamento tributário que realmente fará a diferença na empresa, é preciso levar em consideração fatores como:

  • Histórico da empresa, pelo qual se pode ver se houve recolhimento maior ou menor, ação fiscal, crédito fiscal etc.;
  • Despesas operacionais e com pessoal;
  • Expectativa de faturamento ou receita bruta;
  • Margem de lucro.

Analise os dados e defina o melhor regime de tributação

Cada atividade empresarial exercida tem suas particularidades e seu histórico de ações. Após considerar os fatores que influenciam no panorama financeiro, é preciso escolher um regime de tributação adequado, que pode ser:

  • Microempreendedor Individual (MEI)
  • Simples Nacional: regime em que o pagamento de impostos é feito de forma simplificada.
  • Lucro Presumido: qualquer empresa pode adotar, exceto aquelas obrigadas por outros regimes.
  • Lucro Real: destinada a empresas do setor financeiro.

Verifique incentivos ou isenções fiscais

Com o enquadramento tributário correto, é só verificar se existem incentivos ou isenções fiscais relativos às atividades da empresa. Uma prática comum que contribui para um planejamento tributário eficiente é simular os cenários de tributação, para saber se há casos de compensação de créditos fiscais, por exemplo, ou se há possibilidades de se enquadrar em uma modalidade de incentivo (leis de incentivo, por exemplo).

Controle, avalie e corrija o planejamento

Aplicar os conceitos do planejamento estratégico no planejamento tributário é essencial, pois é uma ferramenta fundamental de uma boa gestão administrativa. Por isso, controle as ações decorrentes do enquadramento tributário (como o aproveitamento de isenções fiscais), avalie as escolhas do empreendimento em relação ao setor financeiro e corrija sempre que necessário.

Um indicador importante de ser avaliado é ver se os benefícios do planejamento tributário estão sendo aproveitados.

Verifique se há benefícios

Se seu planejamento estiver correto, incluindo todos os fatores e com o enquadramento adequado, sua empresa desfrutará de ótimos benefícios. Ou seja, planejamento tributário:

  • Reduz os custos do empreendimento (minimiza a incidência de tributos),
  • Diminui o número de autuações fiscais (previne erros de lançamentos de eventos de tributação e erros na aplicação da legislação tributária)
  • Aumenta a competitividade (a redução de custos possibilita uma melhor saúde financeira, aumentando o investimento nos setores do negócio).

Coloque em prática essas dicas para iniciar e dar sequência a um planejamento tributário eficiente. Ele deve ser constantemente atualizado para atender às mudanças na legislação tributária brasileira, mas seu resultado é sempre evidente: mais eficiência da gestão financeira da empresa, mais lucro e maior competitividade!

E se restou alguma dúvida sobre a aplicação deste planejamento em sua empresa, entre em contato para que possamos ajudá-lo! 

Pergunte a um especialista e receba a resposta gratuitamente no seu e-mail.